segunda-feira, 31 de outubro de 2011

A Borboleta Azul


Havia um viúvo que morava com suas duas filhas curiosas e inteligentes.
As meninas sempre faziam muitas perguntas. Algumas ele sabia responder,outras não. 
Como pretendia oferecer a elas a melhor educação, mandou as meninas passarem férias com um sábio que morava no alto de uma colina. O sábio sempre respondia todas as perguntas sem hesitar.
Impacientes com o sábio, as meninas resolveram inventar uma pergunta que ele não saberia responder.
Então, uma delas apareceu com uma linda borboleta azul que usaria para pregar uma peça no sábio.
- O que você vai fazer? - perguntou a irmã.
- Vou esconder a borboleta em minhas mãos e perguntar se ela está viva ou morta. Se ele disser que ela está morta, vou abrir minhas mãos e deixá-la voar. Se ele disser que ela está viva, vou apertá-la e esmagá-la. E assim qualquer resposta que o sábio nos der estará errada!
As duas meninas foram então ao encontro do sábio, que estava meditando.
- Tenho aqui uma borboleta azul. Diga-me sábio, ela está viva ou morta?
Calmamente o sábio sorriu e respondeu:
- Depende de você... ela está em suas mãos. 

Assim é a nossa vida, o nosso presente e o nosso futuro.
Não devemos culpar ninguém quando algo dá errado. Somos nós os responsáveis por aquilo que conquistamos (ou não conquistamos). Nossa vida está em nossas mãos, como a borboleta azul...  Cabe a nós escolher o que fazer com ela.
O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem.
"Por isso, existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis."

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Prá todas as mulheres e também para os homens de bom senso....

NINGUÉM MAIS NAMORA AS DEUSAS

MULHERES

Outro dia, a Adriane Galisteu deu uma entrevista dizendo que os homens não querem namorar as mulheres que são símbolos sexuais. É isto mesmo.
Quem ousa namorar a Feiticeira ou a Tiazinha?
As mulheres não são mais para amar; nem para casar. São para "ver".
Que nos prometem elas, com suas formas perfeitas por anabolizantes e silicones?

Prometem-nos um prazer impossível, um orgasmo metafísico, para o qual os homens não estão preparados...
As mulheres dançam frenéticas na TV, com bundas cada vez mais malhadas, com seios imensos, girando em cima de garrafas, enquanto os pênis-espectadores se sentem apavorados e murchos diante de tanta gostosura.

Os machos estão com medo das "mulheres-liquidificador".
O modelo da mulher de hoje, que nossas filhas ou irmãs almejam ser (meu Deus!), é a prostituta transcendental, a mulher-robô, a "Valentina", a "Barbarela", a máquina-de-prazer sem alma, turbinas de amor com um hiperatômico tesão.

Que parceiros estão sendo criados para estas pós-mulheres? Não os há.
Os "malhados", os "turbinados" geralmente são bofes-gay, filhos do mesmo narcisismo de mercado que as criou.
Ou, então, reprodutores como o Zafir, para o Robô-Xuxa.
A atual "revolução da vulgaridade", regada a pagode, parece "libertar" as mulheres.
Ilusão à toa.

A "libertação da mulher" numa sociedade escravista como a nossa deu nisso: Superobjetos. Se achando livres, mas aprisionadas numa exterioridade corporal que apenas esconde pobres meninas famintas de amor, carinho e dinheiro.
São escravas aparentemente alforriadas numa grande senzala sem grades.
Mas, diante delas, o homem normal tem medo.
Elas são "areia demais para qualquer caminhãozinho".

Por outro lado, o sistema que as criou enfraquece os homens.
Eles vivem nervosos e fragilizados com seus pintinhos trêmulos, decadentes, a meia-bomba, ejaculando precocemente, puxando sacos, lambendo botas, engolindo sapos, sem o antigo charme "jamesbondiano" dos anos 60.
Não há mais o grande "conquistador".

Temos apenas os "fazendeiros de bundas" como o Huck, enquanto a maioria virou uma multidão de voyeur, babando por deusas impossíveis.
Ah, que saudades dos tempos das bundinhas e peitinhos "normais" e "disponíveis"...
Pois bem, com certeza a televisão tem criado "sonhos de consumo" descritos tão bem pela língua ferrenha do Jabor (eu).

Mas ainda existem mulheres de verdade
Mulheres que sabem se valorizar e valorizar o que tem "dentro de casa", o seu trabalho.
E, acima de tudo, mulheres com quem se possa discutir um gosto pela música, pela cultura, pela família, sem medo de parecer um "chato" ou um "cara metido a intelectual".
Mulheres que sabem valorizar uma simples atitude, rara nos homens de hoje, como abrir a porta do carro para elas.
Mulheres que adoram receber cartas, bilhetinhos (ou e-mails) românticos!!
Escutar no som do carro, aquela fitinha velha dos Beegees ou um cd do Kenny G (parece meio breguinha)...mas é tão boooom namorar escutando estas musiquinhas tranquilas!!!

Penso que hoje, num encontro de um "Turbinado" com uma "Saradona" o papo deve ser do tipo:
-"meu"... o meu professor falou que posso disputar o Iron Man que vou ganhar fácil!."
-"Ah "meu"..o meu personal Trainner disse que estou com os glúteos bem em forma e que nunca vou precisar de plástica". E a música???
Só se for o "último sucesso (????)" dos Travessos ou "Chama-chuva..." e o "Vai serginho"???...

Mulheres do meu Brasil Varonil!!! Não deixem que criem estereótipos!!
Não comprem o cinto de modelar da Feiticeira. A mulher brasileira é linda por natureza!!
Curta seu corpo de acordo com sua idade, silicone é coisa de americana que não possui a felicidade de ter um corpo esculpido por Deus e bonito por natureza. E se os seus namorados e maridos pedirem para vocês "malharem" e ficarem iguais à Feiticeira, fiquem... igual a feiticeira dos seriados de Tv:

Façam-os sumirem da sua vida!

 
Arnaldo Jabour

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Chique demais!


SER CHIQUE SEMPRE - GLÓRIA KALIL 

Nunca o termo "chique" foi tão usado para qualificar pessoas como nos 
dias de hoje. 

A verdade é que ninguém é chique por decreto. E algumas boas coisas da vida, infelizmente, não estão à venda. Elegância é uma delas. 
Assim, para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou closet recheado de grifes famosas e importadas. Muito mais que um belo 
carro Italiano. 

O que faz uma pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma como ela se comporta perante a vida. 

Chique mesmo é ser discreto.
Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por seus imensos decotes e nem precisa contar vantagens, mesmo quando estas são verdadeiras. 

Chique é atrair, mesmo sem querer, todos os olhares, porque se tem brilho próprio.

Chique mesmo é ser discreto, não fazer perguntas ou insinuaçõe inoportunas, nem procurar saber o que não é da sua conta. 

É evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua. 

Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador. 
É lembrar-se do aniversário dos amigos. 

Chique mesmo é não se exceder jamais! 
Nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir. 

Chique mesmo é olhar nos olhos do seu interlocutor. 

É "desligar o radar", "o telefone", quando estiver sentado à mesa do restaurante, prestar verdadeira atenção a sua companhia. 

Chique mesmo é honrar a sua palavra, ser grato a quem o ajuda, correto com quem você se relaciona e honesto nos seus negócios. 

Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer, ainda que você seja o homenageado da noite! 

Chique do chique é não se iludir com "trocentas" plásticas do físico... quando se pretende corrigir o caráter: não há plástica que salve grosseria, incompetência, mentira, fraude, agressão, 
intolerância, ateísmo...falsidade. 

Mas, para ser chique, chique mesmo, você tem, antes de tudo, de se lembrar sempre de o quão breve é a vida e de que, ao final e ao cabo, 
vamos todos terminar da mesma maneira, mortos sem levar nada material deste mundo. 

Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem se encontrar e não 
aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não lhe faça bem, que não seja correta. 

Lembre-se: o diabo parece chique, mas o inferno não tem qualquer glamour! 

Porque, no final das contas, chique mesmo é Crer em Deus! 

Investir em conhecimento pode nos tornar sábios... mas, Amor e Fé nos tornam humanos! 

GLÓRIA KALLIL

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Para o dia das bruxas

 


 



Nossa a galera está animada mesmo, em plena quinta- feira festinha de bruxas para comemorar os 3 aninhos a Maria Eduarda. Já que minha mãe foi com o Psico da Isabeli Fontana que eu amo; também fui de Risque só que de Obsessão, passei logo e camadas porque queria bem forte, mas com 2 ele já fica perfeito, lindinho mas como estava grosso descascou rápido.
Então, como já tinha dado vários jeitinhos na unhas resolví ir a manicure, que como sempre não tinha nada que prestasse, sorte que levei meu cocker da coleção I love my dogs, novinha em folha.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Esmalte da Vez- Copacabana

Tava dando uma olhadinha as fotos antigas e achei essa foto perdida que esqueçi de postar, é o rosinha barbie da Ana Hickman da Coleção Praias o Copacabana, mega fininho  com cobertura super jelly bom mesmo só fica com 3 camadas, mas é fofo mesmo assim, vale a pena gastar um pouquinho mais de tempo e caprichar mas camadas bem fininhas, eu gostei!

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Esmalte do dia 18 de agosto







Como estava super grosso, acabei tirando o verdinho que estava e optei por um magenta, acho que é isso, uma cor entre o vermelho e o framboesa. Trata-se do Fashion da Ludurana, marca que ganha meu coração. Ele é um básico cremoso , fácil de passar e cobre bem mas como sempre passei duas camadas e como pintei ontem a noite, passei também um top coat (o roxinho da Colorama) pra não amassar durante o sono, ficou perfeito. As fotos não ficaram muito parecidas não, tá! A última então, vixi, parece muito mais vermelho que de fato é, rs. Copie uma outra foto que achei mais parecida com a cor.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Esmalte da semana pós-operatório - Elemento



Bom depois se operar as vistas e mesmo assim cumprir uma agenda básica de atividades, mudei de Lolita da Impala com francesinha e Diamante da Ludurana, para um Elemento da Nutri-verniz Colorama confesso a cobertura dele é bem cremoso e acabou ficando meio grosso, com 3 dias cobrí com o Santo luxo da Impala que é mega fininho, mas cabei tirando depois de 1 dia. Consegui a façanha de queimar o cartão de memória da máquina fotografica, com isso perdí as fotos do Jonh Piper no dia 8 de outubro no Riocentro, das unhas e também do níver da minha avó, tive que sair em pleno sábado pra comprar outro cartão mas pelo menos guardei essa fotinho pra registrar o momento.